segunda-feira, 31 de maio de 2010


Há alguns dias foi pedido a mim um texto sobre amizades. Então aqui está ele:
Quando todas as portas se fecham, quando os amores vão embora, quando o mundo parece estar girando ao contrario, quando tudo perde a cor, quando você acha que não vai suportar... Existe algo que te traz esperança, existe algo que te faz acreditar que vale apena, existe algo que coloca tudo no lugar. Isso se chama amizade. Existe algo maior que isso? Existe algo melhor que uma amizade verdadeira? Creio eu que não. Muita gente acredita que não existam mais amizades verdadeiras, mas eu já tive provas de que existe. O que muita gente tem, é a visão errada do que é amizade. Amizade não é chamar de "amiga" uma pessoa que você mal conhece. Amizade não é dizer "te amo" para uma pessoa apenas por interesse. Amizade não é algo em que você só está com a pessoa em festas e em momentos felizes. Amizade verdadeira mesmo é aquela que não acaba nos momentos ruins, é aquela em que você sabe que apesar de todos os desentendimentos, nunca vai ter um fim. Amizade é saber guardar um segredo, é dar conselhos quando a outra pessoa precisa, é chorar só pelo simples fato de ver o (a) amigo (a) triste. Agradeço a Deus tantas vezes por ter em minha vida as pessoas que tenho. Não vou citar nomes, não caberiam todos aqui. Mas eu dedico esse texto a todos os meus amigos, aqueles que eu sei que vão estar lá na hora certa, no lugar certo, quando eu precisar. Aqueles que riem comigo, que fazem as maiores bagunças comigo, aqueles que deixam a minha vida mais feliz pelo simples fato de estarem presentes nela, aqueles que eu confio de olhos fechados, que me conhecem melhor do que eu mesma... Alguns eu conheço faz anos, outros apenas meses, mas grandes amizades não precisam de um grande tempo para se tornar absolutamente tudo na vida de alguém. Posso dizer que eu sei bem o que é uma amizade verdadeira.


m.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Ostenta ser feliz.


Pouco mais de meia-noite e eu aqui nesse quarto vazio, enquanto a cidade se diverte eu fico a rever cenas que me ocorreram em um passado bem próximo.
Às vezes me sinto tão boba, por ter algumas atitudes.
Me sinto boba por perder oportunidades, por ser tão acomodada em meu mundo.
Eu to sempre achando que são as pessoas que devem vir até a mim, e sempre isso acaba acontecendo. Mas ultimamente a verdadeira pessoa que eu quero ao meu lado está cada vez mais se afastando.
No silêncio desse quarto vazio, consigo relembrar tua voz, e isso me dá motivos pra sorrir.
Me desculpe por estar agindo dessa maneira, eu só tenho medo de te perder, assim como já perdi outras pessoas.
Tenho tanto medo do que ainda vai acontecer com a gente...
Parte de mim diz para eu deixar de lado essas bobeiras e não me preocupar com o futuro, deixar que o destino se encarregue de tudo.
Quero deixar esse medo de lado, quero ver apenas as coisas boas como tenho feito a maioria das vezes, mas tem uma hora que o lado ruim acaba aparecendo. Pode estar no melhor esconderijo, pode estar onde ninguém imagina, mas uma hora aparece. E eu acabei de encontrá-lo.
Descobri que isso que eu chamo de lado ruim, estava mesmo no melhor esconderijo, no lugar que eu menos conheço. Estava o tempo todo dentro de mim mesma.
Mas daqui pra frente, eu juro esquecer esse lado ruim, eu juro tentar ser essa pessoa feliz que eu ostento ser, eu juro tentar te entender mesmo quando você tiver atitudes incompreensíveis.
Eu sou os ventos gelados, eu sou os dias chuvosos, eu sou o escuro, eu sou o frio. Mas amor dentro de mim eu tenho, só ainda não sei muito bem como usá-lo.



m.

quinta-feira, 27 de maio de 2010


Nunca mais sequer falei contigo.

Não sei se estás bem, não sei se ainda pensas em mim.

Será que fui algo pra ti? Sinceramente acredito que não.

Fui mais uma no teu jogo de mentiras e doces ilusões.

Durante todo esse tempo, quase um ano desde a tua partida, tudo o que eu fiz foi procurar o motivo do nosso fim.

Onde foi que eu errei? Porque você fez isso comigo?

Você me fez chorar mesmo sabendo o quanto eu te amava.

Acho que é só da sua natureza, mentir, enganar, iludir.

O errado é você, não eu. E é nisso que eu tento acreditar todos os dias.

m.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Adoro quando chove.


Adoro quando chove e eu não tenho nada pra fazer. Gosto de olhar pela janela do meu quarto a cidade molhada, gosto de ver os inúmeros guarda-chuvas das mais diversas cores. Para muitos os dias chuvosos são feios, sem graça e até tristes. Mas existe melhor coisa que um dia assim para ficar em casa escrevendo? Para mim não. Então vou deixar que a chuva lave a minha alma, que leve embora tudo aquilo que não me faz bem. Eu quero o céu nublado, eu quero a chuva, eu quero o frio.

m.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Incrível o modo como me sinto totalmente fraca perante determinadas situações.
Sinto-me fraca por me apegar tanto às pessoas, por não ter forças de abandonar tudo isso.
Por ceder tanto ás vezes, talvez por medo ou insegurança.
Sei controlar tudo a minha volta, inclusive algumas pessoas. Mas nunca consegui controlar os meus próprios sentimentos.
Queria ter uma varinha mágica e poder apagar certas coisas de dentro de mim, apagar o que sinto por ti...
É bom o que sinto, mas ao mesmo tempo é ruim, eu não queria me apegar de novo, não quero sofrer de novo, e eu já sei bem o fim que tudo isso vai ter. O conto de fadas é o mesmo, a princesa é a mesma, até mesmo as promessas são as mesmas. A única coisa diferente é o príncipe, que muitas vezes demonstra ser um sapo, ou um ogro.
Será que esse conto de fadas acabará como os outros? Ou será que esse terá o famoso “felizes para sempre”?
É nisso que penso todas as noites, é isso que eu tento entender.
Sinto-me fraca. Fraca por saber lidar com palavras, mas não saber lidar com meus próprios sentimentos.

m.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Se pudéssemos viver sem o amor, talvez saberíamos o que é sensatez, teríamos paz e até nos seria poupado boa parte do sofrimento.
Não haveria desilusão, não haveria aquela aflição em saber onde está a pessoa, o que ela está fazendo, se sente o mesmo por ti...
Ás vezes dói mais do que conseguimos aguentar.
Por quase um segundo chego a pensar que tudo isso é em vão, mas o que seríamos sem tudo isso?
Seríamos como quartos vazios. Vazios, úmidos e escuros.

Essas coisas ruins e boas que só o amor nos proporciona, faz parte da vida de todo mundo, de alguma forma.

Não existe vida sem amor. Afinal o que justifica todas as palavras aqui já ditas por mim?


m.

sábado, 8 de maio de 2010

Ansiedade.

Contando os tiques do relógio para te ver...
Há muitos rabiscos em meu caderno e todos são para ti.
Teu texto já está pronto, e eu me pergunto: Será que essas palavras chegarão aos teus ouvidos? Será que irão surtir em ti o efeito que eu espero?
Não vou torcer para que aconteça, não vou pedir para que aconteça. Mas vou fazer valer à pena quando acontecer.
" Em cada verso só pra ti eu vou cantar, cada palavra que eu expresso visando te agradar, não é o bastante pra tu perceber quão grande é o meu amor... ♪ "

m.

terça-feira, 4 de maio de 2010

O blog ta meio abandonado. Há dias se quer entrei aqui para ler as postagens antigas...
Não to com vontade de fazer nada ultimamente, cansei da escola, cansei de ver e ouvir certas coisas na sala de aula. Porque algumas pessoas são tão infantis?
Cansei de ter tantas responsabilidades em um determinado momento ou situação, mas não ser "grande" o sulficiente para ser totalmente independente.
Cansei de correr atrás de pessoas que não ligam para mim.
Decidi deixar tudo pra lá, quero que se dane.
Tem horas que quero fugir, encontrar um lugar deserto e olhar pro céu; esquecer de todos meus problemas e fingir que está tudo bem, pelo menos por algumas horas.

m.