segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Neuras do subconsciente.

Existe um breu, um vazio, uma placa, um imenso buraco negro e fundo impedindo com que os pensamentos aconteçam. Porque é tão difícil, fazer com que toda essa escuridão, se transforme nas ideias mais criativas?
Eu realmente não sei como, não sei o que escrever, não sei o que fazer para derrubar o muro da insegurança que não deixa os pensamentos surgirem.
Todos os dias, nada mais que um sol a brilhar, e uma monótona e continua rotina, de coisas, que nada me satisfaz, apenas são automáticas, e necessárias, e ao mesmo tempo não importam, pois para nada servem apenas estão lá sendo feitas.
Tudo isso, me faz ficar cada vez mais presa, por esse muro chamado insegurança, talvez porque tudo dentro de mim, seja difícil de ser compreendido. E desvendar esses profundos pensamentos dói. Ás vezes mais do que eu posso aguentar.
Os muros da incerteza, são chamados de neura do subconsciente, estão lá mesmo você não querendo, só para confundir, e acabar com tudo o que aconteceu de bom, e não há como acabar são as piores coisas que existe, nada é mais horrendo, do que essas vozes dizendo algo que você fez errado, se repetindo milhares de vezes na sua mente.
E essas vozes logo se transformam em gritos, e acabam fazendo com que eu fique surda, fazendo com que eu fique cada vez mais perdida nesse breu, nesse vazio, nessa placa chamada vida.
Talvez a única solução para isso acabar seja a morte, não existem caminhos alternativos, só existem dois: o sofrimento ou o fim. Eu sei, nenhum dos dois é bom, pois eles se igualam, mas ainda sim prefiro o sofrimento, prefiro a desilusão, prefiro a dor, afinal é tudo isso que ainda me mantém viva.

M. Benatti & M. Carvalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário