terça-feira, 9 de novembro de 2010

1/2

As vezes tudo isso parece maior do que eu posso suportar, parece que toda essa dor não cabe no mundo, e se não cabe no mundo, quem dirá dentro do meu coração, ou no caso, o que resta dele.
Metade, permanece intacta, com lembranças, dores, saudades, alegrias, tédio e tudo o que eu possa imaginar. A outra metade você levou pra junto de si, e nunca mais se preocupou em devolver, nem se quer me deu notícias de como é que está cuidando da tal coisa.
Sinceramente? Acredito que ela esteja no fundo de uma gaveta, daquelas que a gente só olha ás vezes, quando estamos a procura de algo.
E talvez um dia você venha a procurar por isso. Talvez sinta falta do que te fez feliz, ou talvez apenas sinta vontade de devolver.
Então você começa a procurar dentro da gaveta. Papéis, cds, canetas, um boletim antigo no qual as notas não são boas... E a tal coisa procurada? Sumiu.
Não adianta mais procurar, isso que procuras foi tomado por outra pessoa.
Ás vezes gostamos tanto de uma coisa, que na correria do dia-a-dia, na busca de um lugar para acomoda-la, acabamos jogando em uma gaveta qualquer.

E você, onde guarda as coisas importantes da sua vida?

m.

Nenhum comentário:

Postar um comentário