segunda-feira, 28 de março de 2011

Caught a shock but my heart's still beating.


O que mais te surpreende é o que no fundo você já sabia que iria acontecer. Mais cedo ou mais tarde, não há como fugir. São como sombras, te perseguem sempre onde quer que você vá.
Isso se chama insegurança, e sua intuição sempre disse pra você não confiar na pessoa que fez isso com você.

O estranho é que você quer confiar, quer ir aos mais diferentes e longínquos lugares onde isso tudo vai levar. E sabe porque você quer isso? Porque é a pessoa que você ama que está te levando lá, e mesmo sua intuição dizendo não, você dá a sua mão pra essa pessoa e se deixa guiar como um cego, sem se importar pra onde está indo, você confia sua alma à essa pessoa.

Então seu coração diz sim. Diz sim para essa louca desventura a qual denominamos amor. E tudo o que você recebe é um talvez.


Eu abri uma excessão, a porta está aberta. Pode entrar.




m.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Hello, autumn.


Manhã típica de outono, muita chuva e um frio nem tão frio assim. Eu estou em uma sala de espera, aguardando ansiosa que algo aconteça em minha vida, e já não é mais algo específico.
Pode ser qualquer coisa, eu to tão cansada da minha rotina dos últimos dias... Hoje eu to com uma vontade enorme de mudar tudo, de fazer uma completa revolução.

Eu sei que tenho o poder de mudar tudo, quando chegar a minha vez de mudar, só tem uma coisa que não, algo que eu tenho pensado muito desde o verão de Janeiro.
E eu não consigo tirar isso da minha cabeça, eu não acho um modo de fazer com que isso se vá para sempre e esse tempo frio e chuvoso só agrava a situação em relação a isso. Eu conheço bem o motivo de toda essa complicação, eu me conheço bem.
Eu estou em frente a um espelho agora, e então eu me pergunto: "É isso mesmo que você quer?" A minha resposta é "não". Embora eu queira mudar, eu quero manter esse sentimento dentro de mim, eu quero todas as reações que ele possa provocar, mesmo que a maioria delas não esteja sendo boa ultimamente.


Eu tenho o frio, eu tenho a chuva, uma xícara de chá e uma vontade enorme de mudar o mundo. O que me falta? Apenas a tua companhia.


m.

sexta-feira, 18 de março de 2011

Recíproca.


Nunca digo que a porta está aberta, até porque, ela está sempre fechada. Mas acontece que, você tem um molho de chaves em suas mãos e vai precisar de algumas delas para abrir a tal porta. Mas tome cuidado, pois caso use a chave errada, ela pode se enroscar na fechadura e você pode nunca mais conseguir tirá-la de lá. Ou pode até mesmo quebrar a chave e a fechadura.
Peço que tente com todas as chaves, devagar, com cautela, e daquele jeito que você sabe bem como fazer.

Mas não deixe passar muito tempo, pois outro alguém pode lhe tomar o tal molho de chaves, e a porta pode um dia não estar mais ali ao seu dispor.
Só nunca espere que a porta um dia se abra sozinha. Ou então que ela diga "pode entrar". Isso nunca vai acontecer, não porque a porta quer assim, mas porque tem que ser assim.
Precisa-se da chave, precisa-se de algo além do esforço da porta.

Quando você finalmente destrancar todas as fechaduras, não espere encontrar tudo o que queria ver, por que talvez na sua imaginação, a magia por detrás de todas aquelas fechaduras seja muito grande. E na verdade a magia é muito grande sim. Porém pode não te agradar em alguns aspectos.

Seja forte, pois sabemos que assim como a porta depende da chave e a chave depende da porta, eu dependo de você e você depende de mim. E prepare-se para muitas surpresas.

m.

quinta-feira, 10 de março de 2011

Listen Up.


E porque o meu interesse repentino nisso?
Basicamente, porque você é diferente dos outros porque não fez o que eles fizeram. Em momento algum tentou me entender, me mudar, ou explicar porque eu tenho certas atitudes.
E no fundo você sempre acaba sendo o que mais me entende, e sabe perfeitamente que eu não fui feita para ser entendida. Eu não fui feita para dar nenhuma explicação e eu mudarei apenas quando eu quiser.
E mesmo quando disseres não, eu direi sim. Direi sim para nós e para tudo o que quiseres viver junto de mim.

m.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Maybe I'm just scared.


Para chegar até aqui eu já abandonei muitas coisas, e com isso acabei ganhando outras. Só não sei até agora se o que eu fiz foi uma boa escolha. Eu atravessei o meu medo disso que sinto por ti, não completamente. Mas aos poucos vou deixando isso de lado, aos poucos vou apenas seguindo, ainda que com inúmeros tropeços.
Um dia me disseram que existem dois tipos de medo, o medo que paralisa e te impede de fazer algo, e também o medo que te impulsiona e te encoraja.
Não sei definir bem qual deles é o meu, talvez uma mistura dos dois.
Essa situação é difícil para mim, e eu sei que é difícil pra ti também. É difícil pra você deixar seu medo de lado, segurar minha mão e andar ao meu lado nesse caminho escuro. É ruim a sensação de sentir algo que não estava acostumado a sentir...
Eu juro um dia te tirar esse medo, só preciso antes perder o meu, ou então fazer desse medo uma mola que me impulsiona a fazer o que eu realmente quero.

Com medo ou sem medo. Errando ou acertando. Só sei que por enquanto eu te preciso e talvez esse "por enquanto" esteja mais pra um "sempre".


m.