sábado, 26 de novembro de 2011

Control.


A sensação de não conseguir respirar mesmo que inspirando pra dentro de meus pulmões todo o ar que contem neste quarto. E quando sinto o ar penetrando em meus alvéolos, dói. Então eu expiro tudo, ou tento. Mas parte sempre fica aqui.
Quero o ar da liberdade, e sinto que isso se aproxima. Quero respirar todo esse ar fresco, mesmo que seja muito para mim. Não é apenas um querer, é uma necessidade.

Não me questione, não queira entender qualquer atitude minha. Não nasci pra ser compreendida, quem me conhece sabe. Mas esteja ao meu lado, apenas. Preciso de companhia, pois me sinto sozinha apesar de tudo.

De que vale a liberdade sem alguém pra ocupar o ócio que ela causa? Paradoxo, eu sei.
Eu sou assim, um querer e um desquerer. Liberdade assistida por alguém, que indiretamente eu deixo me controlar (sem que o tal alguém perceba que está me controlando, é claro). Tão independente de tudo, mas no fundo dependente.

Só quero que me desvende, me descubra e saiba tudo sobre mim.


m.

domingo, 6 de novembro de 2011

The game is you.


Pessoas almejam algo, correm atrás, conseguem e depois descartam. É o ciclo, é a vida. O que é fácil, é passageiro, até mesmo o que é difícil, quando conseguido se torna inútil. Bom mesmo é o impossível, é isso o que todos querem. Maldita mania humana de querer o que não se pode obter, maldita mania de querer mais do que se tem. Sempre mais e mais.
E de que vale toda a luta se no final você vai jogar fora? De que vale tanto esforço para nada? As pessoas não fazem sentido, é por isso que estou tão perdida.
Quero me desligar de tudo, sumir pra qualquer lugar e observar tudo passando lentamente e dolorosamente. Seria legal fazer o papel de telespectadora da minha própria vida, provavelmente os erros seriam mais visíveis. Quem comete os erros nunca os vê, é preciso estar por fora para percebê-los.
Porém, eu sou a protagonista dessa grande peça teatral, o palco já está montado, logo as cortinas se abrirão e precisarei começar a atuar.

É chegado o momento em que você vai ser embaralhado e descartado do baralho.


m.