sábado, 26 de novembro de 2011

Control.


A sensação de não conseguir respirar mesmo que inspirando pra dentro de meus pulmões todo o ar que contem neste quarto. E quando sinto o ar penetrando em meus alvéolos, dói. Então eu expiro tudo, ou tento. Mas parte sempre fica aqui.
Quero o ar da liberdade, e sinto que isso se aproxima. Quero respirar todo esse ar fresco, mesmo que seja muito para mim. Não é apenas um querer, é uma necessidade.

Não me questione, não queira entender qualquer atitude minha. Não nasci pra ser compreendida, quem me conhece sabe. Mas esteja ao meu lado, apenas. Preciso de companhia, pois me sinto sozinha apesar de tudo.

De que vale a liberdade sem alguém pra ocupar o ócio que ela causa? Paradoxo, eu sei.
Eu sou assim, um querer e um desquerer. Liberdade assistida por alguém, que indiretamente eu deixo me controlar (sem que o tal alguém perceba que está me controlando, é claro). Tão independente de tudo, mas no fundo dependente.

Só quero que me desvende, me descubra e saiba tudo sobre mim.


m.

2 comentários:

  1. Achei o link do seu blog em uma comunidade sobre a música thanks for the memories do fall out boy, e como também tenho um blog, mesmo que neste mês ele esteja um tanto desatualizado, resolvi dar uma olhada. Gostei muito dos textos, vc escreve muito bem, parabéns. Estou seguindo e lerei sempre que possível. (:

    ResponderExcluir
  2. Obg por ler meus textos e gosta deles *-*

    ResponderExcluir