terça-feira, 5 de junho de 2012

Alive?


  Finda-se aos poucos o outono mais quente que já vivi.

   Pressinto a próxima estação, pressinto o frio que vem de dentro de mim, agravado pelo frio exterior.
Gostaria de mudar no passo com que as estações mudam, seria uma mudança fácil e não perceptível, mas eu não consigo acertar os passos de nada. Tudo em mim é rápido demais. As coisas ao meu redor não fazem sentido, eu não faço sentido. Creio que me perdi, e dessa vez é pra sempre. 
Voltei a ser o dia nublado que não decide se chove ou não. Voltei a querer estar na chuva sem querer me molhar. Não sei até que ponto tudo isso pode ser saudável. 



   E eu estou falando em todas as línguas que preciso de ajuda, da sua.

m.

Nenhum comentário:

Postar um comentário