domingo, 10 de junho de 2012

Sopa de borboletas.

Não sei ser óbvia, por mais que ás vezes seja. Gostaria de saber dizer o que quero com todas as letras, sem deixar apenas subentendido, sem o uso de tantas metáforas. Eu nasci com essas metáforas presas em meus tecidos nervais, fazendo com que se expressem demasiadamente em minhas frases ditas ou escritas.
Deve haver algo fora do lugar em mim, sou uma mistura de todas as coisas erradas possíveis de se imaginar. Minto, manipulo, finjo, sou profundamente egoísta, bebo, tenho vícios, uso e logo descarto. Estou perto de ser um fracasso e longe de ser uma pessoa interessante.
Sinto falta de algum tipo de sincronia em mim, devo tê-la perdido em alguma das várias esquinas que dobrei, ou tropeçado em alguma pedra e a derrubado. Ou então, deve ter sido afogada dentro de um copo de vinho barato. Que falta faz o continuo e definido desenrolar das coisas...


Seja minha sincronia.

m.

Nenhum comentário:

Postar um comentário