sábado, 14 de julho de 2012

It doesn't mean a thing to me.

 Essas frases prontas e instantâneas que saem da boca dela, tão alegre, tão simpática, tão sociável. Certamente sóbria não estava.
O batom vermelho impecável e o sorriso por detrás dele, impecável. Tão fácil atuar, nascera já atuando, foi feita para o abrir das cortinas. O difícil mesmo é atuar ela mesma, certamente não fora feita pra esse papel. É vários personagens, cada dia um. Faz a dramática, a romântica, a "foda-se tudo isso", a perdida, a bêbada, a bonita, a tão segura de tudo o que faz.  E por detrás deles, o que há? São tantas máscaras, vai demorar até que caiam todas. E vai doer.
Sabe como machucar as pessoas, sim, sabe bem. Quem poderá acompanhar um ritmo tão inconstante e variável? Nem ela mesma...


Ás vezes dá enjoo de mim, de todo esse clichê que eu sou.

m.

Nenhum comentário:

Postar um comentário