segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Já é amanhã.

Se você parar para contar as horas certamente irá enlouquecer. Vai perceber o quão rápido o tempo passa e as coisas fogem do seu controle. E você está caindo, profundamente, em um imenso buraco negro.
Quem me dera ser uma Alice e no final disso tudo encontrar um país das maravilhas. Tomar um chá com o chapeleiro maluco, ter a lagarta azul me dando conselhos,  perseguir o coelho branco que está sempre apresado com seu relógio de bolso...
 Talvez o coelho tenha percebido o quanto o tempo é precioso e que o eterno é apenas um segundo. Sempre apressado, como se tivesse mil e um compromissos. E transparece isso para todos que o vêem quando na verdade o que o obriga a contar o tempo minunciosamente é o medo de perder algo que nem tem. E correr, correr, correr para chegar a lugar algum. Ao contrário de Alice que está sempre atrasada, alucinada, perdida.

"Aonde fica a saída?" Perguntou Alice ao gato que ria.
"Depende", respondeu o gato.
"De quê?", replicou Alice;
"Depende de para onde você quer ir..."

E se você não sabe para onde ir, então qualquer caminho é certo.

m.



Nenhum comentário:

Postar um comentário