quarta-feira, 8 de agosto de 2012

You’re truly amidst the tides

Estava em um mar de dúvidas no qual se afogaria pouco a pouco. Não haviam embarcações ou qualquer vestígio de terra por perto. Fraca, não conseguia mais nadar.
Então cedeu, deixou as ondas a levarem pra qualquer lugar. Nunca tivera um rumo certo mesmo, qualquer lugar que chegasse seria um bom motivo para comemorar. Inconsciente, totalmente perdida, instável. Mas encontrara uma saída, um porto qualquer à beira do nada e tão distante de tudo. Por sorte, foi lá que as ondas a levaram, era tudo o que precisava.
E lá estava ele. Desligado e fazendo mil coisas ao mesmo tempo, mas disposto a ajudá-la da melhor maneira possível. E os ventos podiam até mudar de direção, podiam as marés serem altas ou baixas. Podia o mundo se acabar em água em um segundo dilúvio... Mas nada mudaria, seria só ela e ele para sempre.

Em um porto qualquer, á beira do nada.

m.

Nenhum comentário:

Postar um comentário