sábado, 29 de setembro de 2012

Inverno com cara de verão
Primavera, tão fria estação
Eu e você
Por que não?

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

The opposite dark side

Era a doçura diluindo a minha amargura e eu não sabia. Era o chegar da primavera, mas eu não estava pronta para florescer. Era o tédio da rotina casa/aula/você e eu, mas eu queria quebrar o corriqueiro. Era o "eu te amo" previsível e eu, ah, eu amava o suspiro que a surpresa me proporcionava. Amava o silêncio das coisas não ditas. Odiava o fato de você ser tão decifrável. Sempre tão perto e eu amava a solidão. Era a quentura, mas eu, fria, precisava de frio. Era a praia, a piscina, a cachoeira, ano inteiro em carnaval e eu desejava neve no natal.
Era o oposto, o verso, o inverso, o total contrário, contraposto, invertido, do lado errado. Me parecia desastre, mas era o equilíbrio que faltava em mim.


E eu, eu amava estar no olho do furacão.

m.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Patchwork of dreams

No one needs to understand
What happen when i'm your hand
When we are under your patchwork
Alone, together
Like a big firework
Looking at the constellations
My cold with your warm, fit
Pure fascination...

m.

segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Vortex

Quarto escuro
Esconde as mágoas
Paredes cegas
Não te vêem chorar
Silêncio profundo
Escuridão densa
Até amanhecer dia claro.

m.


domingo, 16 de setembro de 2012

Ribbon lakes


Papel amassado
Texto não terminado
Noite não dormida
Vento fresco lá fora
 E você
Aqui dentro.

sábado, 15 de setembro de 2012

A hell of a lot you can do.

Primavera se aproxima, tão quente, tão seca, tão triste. Muda a estação, mas no fundo nada muda, nada transforma, nada renasce. Não dá pra renascer o que na verdade nunca morreu.
Só vejo uma mudança: As árvores cheias das florzinhas amarelas. E um tapete amarelo nas ruas da cidade verde. Gosto delas, apesar de ser um tanto quanto irritante quando grudam na sola do meu sapato. No entanto, acho tão bom ter algo que se prende a mim já que ultimamente todos parecem ter desaparecido...


Qual a graça da chegada da primavera se não houve inverno? Inferno.



segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Chove, mas você não está aqui. Faz frio, mas não te tenho embaixo do meu cobertor zebrado. Estou vestindo a lingerie que você gosta, mas não estás aqui pra ver. Mas, mas, mas... Até quando?

m.

sábado, 1 de setembro de 2012

Incinerate

E eu que de início não quis ver a vida sendo transformada, tanto não quis me apegar. Pelo menos não naquele momento. Eu que era feita de tantos amores e paixões. E veja só ao que eu me resumi, resumi minha vida e a tua em uma só. Fiz de meus inúmeros amores e paixões todos, sem exceção, por você.
Parei o tempo incontáveis vezes, só para que tudo durasse mais. Fiz as tardes mais quentes do que eram, fiz o frio mais gelado. E aqui dentro tudo tão quente. Escrevi tanta coisa... Ou foi você quem entrou no meu âmago e escreveu por mim? Distorceu tanto as minhas linhas, mais do que já eram distorcidas. Bagunçou tudo.


Você é a distorção em forma de pessoa.


m.