sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Carta de saudade.

Por vezes penso em não mais falar contigo, atravessar a rua quando te encontrar, evitar os lugares que você frequenta e até mesmo mudar de cidade, de estado ou país.
Pudera eu, mesmo estando em outra galáxia, não mais pensar em ti. Pudera não me derreter todas as vezes em que ouço aquelas nossas músicas. Ou ainda, vestida com aquele vestido florido que tanto lhe agradava, não imaginar você me puxando pela cintura, beijando-me de surpresa e dizendo o quanto amava me ver dentro daquele vestido. Ainda dói lembrar de tudo isso, então eu choro e eu escrevo. Por mais que doa, eu não quero esquecer toda essa teia de lembranças minunciosamente tecida por nós, doeria muito mais não ter vivido tudo isso.
Há dias em que o tempo nublado faz com que eu não queira continuar, mas então me lembro disso tudo e eu continuo. Continuo porque um dia você disse para eu continuar, mesmo sem você e é o que estou fazendo. As lembranças, no fundo, são o meu combustível para isso. E eu amo tudo que você proporcionou em mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário