quinta-feira, 28 de março de 2013

Ripped jeans to shorts

Sempre tive um medo danado dessa coisa chamada solidão. Sempre acreditei que a pior companhia que eu poderia ter seria a minha mesma. Então me abriguei nos braços de tantas pessoas e me apeguei tanto a essa ideia de pertencer a alguém, essa ideia de companhia, qualquer companhia, só para não me sentir sozinha, só para não me perder na vasta imensidão que há dentro do meu eu. E eu descobri que é tão melhor me perder na imensidão de outras pessoas, outros sabores, outros lugares. A imensidão alheia é bem melhor que a minha. Os problemas alheios são mais fáceis de resolver. Tantas vezes me perdi, em tantas pessoas. E gostei tanto disso, foi divertido aventurar-me no desconhecido e acabar, na maioria das vezes, em um beco sem saída.
Mas eu então te encontrei num desses becos sem saída. Não. Na verdade foi você que me encontrou e me reencontrou, me descobriu, me reinventou de todas as maneiras possíveis. Em ti me encontrei e continuo me encontrando todos os dias. Sempre de uma maneira diferente. É você! O dono de tal proeza jamais alcançada antes. Dissolveu o mistério que assombrava-me, tirou-me o medo que eu tinha de mim mesma. E todos os dias faz com que isso seja uma coisa boa.

2 comentários:

  1. Como sempre, adorei. Obrigado pelas palavras, que, sei, nao sao para mim, mas, como leitores, sempre nos apossamos da vivencia de quem as escreve!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada você por sempre comentar aqui e me incentivar a continuar escrevendo, haha (;

    ResponderExcluir