quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Ausência de vento

Não me deixe assim, solta, ao vento
Não quero fazer da libertina solidão
Meu alento
Ou desatinar na noite clara
Insone, quente e nada úmida.

Solidão, essa, bem conheço
Na verdade é desalento
Gostar dela é quase um medo
Mas no fundo te mereço.

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Que tudo se ajeite rapidinho
E que os dias bons
Sejam devagarinho
Que o carinho seja infinito
Que a trilha sonora seja Jesus and Mary Chain
Nos dias ensolarados e preguiçosos
And
Let me take you in my summer dream.

domingo, 17 de novembro de 2013

Você está sozinha. Nunca esteve tão sozinha. É domingo e está nublado. Todos os afazeres foram terminados. Ouve a música da vizinha do térreo, sempre Rita Lee. Pensa nos malditos costumes que não estão em um livro, mas que te foram impostos desde sempre. É tão triste passar um domingo sozinha. Há um ritual em que ninguém passa  domingo sozinho. Domingo é dia de ver todos aqueles parentes e comer macarronada.
Então eu não vou almoçar pra não dizer que almocei sozinha no domingo.

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Seu cheiro em mim
Tatuagem na pele
Rabisco invisível
Nó que não prende
Nem me deixa ir embora.

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

De felicidade meus dias são feitos
E feliz eu vou vivendo sempre,
a todo momento
Até topar o dedinho naquela quina
Esquecida
Empoeirada
Envelhecida
Das minhas mais profundas memórias.