sábado, 28 de dezembro de 2013

21:45 pergunto:
Que horas são?
Passaram-se dois séculos.
Repito a mesma pergunta
Mas no relógio ainda são 21:46.

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Última semana de primavera

Hoje é terça, quarta ou quinta?
Perdi a noção do tempo há tanto tempo...
Dias em que o sol demora demais para se pôr
Indiscutivelmente são sempre os piores
No jardim florido a primavera morre
Sufocada com o forte calor vindo do céu
E não há chuva de verão que a traga de volta.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Deveria ter sido publicado há tempos.

Em minha memória, tão boa memória, te guardei por tanto tempo, bom tempo. Percebi que aquele lugar quentinho e escondido deixou de ser seguro, há tempos. Te expulsei. Assim espero que expulse-me da sua também boa memória. Não sejamos amigos, não aguentaríamos. Nem mesmo contatos de qualquer rede social. Não me dirija a palavra quando compartilharmos do mesmo local e dos mesmos amigos. Voltaremos a ser desconhecidos, desfaremos o mal que um causou ao outro. Voltaremos a aquele domingo cuja estação já não me lembro e não nos dirijamos a palavra, nem um oi. Não, não me chame pra dançar naquele domingo, não ouse perguntar meu nome ou elogiar minha roupa. Privaremo-nos das boas memórias daqueles incríveis infindáveis fins de tarde ao som de qualquer  Dream Pop ou Shoegaze. Esqueçamos que um dia quisemos que aquilo nunca acabasse. Tudo acaba. E nós acabamos a muito tempo. Passe muito bem, meu bem.

domingo, 15 de dezembro de 2013

Dezembro chegou acompanhado desse sentimento de que estou ficando velha e antiquada. Há alguns anos não costumava ser assim. Dezembro já foi acompanhado da ansiedade de ser adulta logo, de receber presentes, de festejar. E há 4,5,6 anos atrás eu esperava ser alguém melhor do que eu sou agora no auto dos meus dezoito quase dezenove. Inferno astral eu desacreditava na existência. Pois agora, veja só, vivo o auge do mais insuportável.
Fim de ano é confuso e difícil de lidar. Esse ano foi angustiante e fantástico ao mesmo tempo. Uma mistura de qualquer bebida de forte teor alcoólico com groselha. É doce sendo amargo e te deixa embriagado, que é o que importa. Ninguém vai ligar pro gosto se for pra tirar uma pira, ninguém vai ligar pro que aconteceu no ano inteiro se no fim a família toda estiver reunida trocando presentes no natal.
Mas meu estômago não aguenta mais nem mesmo as mais doces bebidas e eu nunca ganhei presente de natal, o que ganho é um presente que vale por aniversário e natal. E é só mais um item da série motivos pelos quais odeio fazer aniversário em Dezembro.