segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Elvira.

Muitas noites comigo dormiu
Outras tantas preferiu fugir pela janela
Pra que lugar, sabe-se lá onde
Divertiu-se, livre como qualquer gata
Feliz e bem amada
Maior companhia minha
Seus grandes olhos amarelos
Fitavam todos os detalhes
De qualquer coisa que eu fazia.

Se foi antes que completasse 4 invernos
Pra onde, quem sabe, algum dia
Encontrarei-a caçando ratinhos
Comendo Friskies sabor fígado
E dormirá comigo, mordendo meu pé
Nem que for por mais uma noite, por favor
Assim poderei continuar sentindo sua ausência
Todos os dias, para sempre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário