terça-feira, 23 de setembro de 2014

Tudo nesse dia empalideceu
Dissolveu-se em neblina, cobrindo
Todas essas árvores pedindo primavera
E o inverno dá seu último adeus
Desculpando-se por não comparecer.

E coitada de mim, logo hoje
Queria tanto me colorir...
Nas unhas verde jade
Na boca vermelho escarlate
Mas como a névoa e  a chuva fina
Cinza sou, cinza permanecerei.

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Let's let it all wash out in the rain

Algumas manhãs são tão lindas
Que tanto me dói
Ter tanto compromisso
Um dia tão corrido
Tanta falta de tempo
Pra parar e observar
Todo esse céu em alento
Ou a chuva fina no telhado
Que até a alma gela.
O vidro do carro embaçado
Aquela pequena eternidade
Dos seus olhos sorrindo pra mim

Como a delicadeza dos pingos
Caindo e escorregando na cama.
Mas a correria não dá trégua
E o banho de chuva, que pena
Sempre fica na espera.


terça-feira, 2 de setembro de 2014

Em vão hoje tentei o vazio preencher
Com uma xícara cheia de chá
E foi assim que
Na fria manhã invernal
Descobri que saudade queima a língua

Crime Perfeito

Quando acordei o mundo girava tão grande
Enquanto eu continuava sempre tão pequena
Tanto que
Roubei você pra mim
E ninguém nem viu.